quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

União de freguesias da Sé, Santa Maria e Meixedo continua em gestão corrente porque o executivo voltou a não ser aprovado

A maior freguesia do distrito continua no impasse.
Telmo Afonso é o presidente eleito a 1 de Outubro mas como não teve a maioria não conseguiu ainda designar o seu executivo. Ontem houve mais uma assembleia na união de freguesias da Sé, Santa Maria e Meixedo onde se voltou a votar a aprovação do executivo que voltou a ser reprovado pela oposição.
Telmo Afonso diz que não está surpreendido com o resultado e apesar de rejeitar o cenário de eleições antecipadas diz que esta situação tem de ser resolvida pois não é boa para ninguém.
“Tentei acordos não foram aceites, nós cedemos. Em primeiro lugar nós ganhámos as eleições mas também sabemos que não ganhámos com maioria e ao não ganharmos com maioria leva a que tenhamos de fazer negociações. Com o partido socialista houve uma boa receptividade dos membros que estão na assembleia, o secretariado do partido socialista entendeu que quem deveria tomar essa decisão era a nova concelhia, portanto tudo bem vamos ter que aguardar mais tempo e tentar fazer negociações.”  
Já José Pires o ex-presidente e candidato independente, diz que não foi solicitado pelo PSD para negociações e garante que da sua parte o impasse vai continuar enquanto nada mudar.
“Não nos foi proposto nada de novo, foi convocada a assembleia para eleição, não fizeram negociações connosco, fizeram com o PS mas nós ficamos na mesma em que estávamos. O votar contra passa por ter não havido negociações, se da última votação para agora não houve nenhuma negociação, não houve nada, não alteramos o sentido de voto só porque nos apeteceu. Temos de ser coerentes.”
O PS também votou contra a proposta de executivo, Artur Pires, diz que vai respeitar sempre aquilo que é a directiva do seu partido que apesar das propostas de Telmo Afonso ainda não quer viabilizar o novo executivo.
“Estamos aqui não para representar os nossos interesses pessoais estamos a representar um partido e neste momento a direcção do partido entende que ainda não devemos chegar a nenhum acordo. O presidente da junta na semana passada fez-nos propostas no sentido de podermos viabilizar este executivo. As propostas passaram por nós podermos integrar o executivo com alguns elementos, ou então termos a mesa da assembleia de freguesia, ou eventualmente em sede de orçamento podermos ter algumas propostas do PS aí elencadas, de qualquer das formas neste momento o Partido Socialista entende que ainda não é hora.”
Mais uma assembleia na maior freguesia do distrito de Bragança onde os ânimos voltaram a aquecer e o tom voltou a subir entre a assistência mas onde acabou por ficar tudo na mesma. 

Escrito por Brigantia

Sem comentários: