sábado, 30 de dezembro de 2017

Distrito de Bragança irá contar com mais 65 camas

Das 500 camas que irão alargar a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, 65 virão para o distrito de Bragança. tendo 18 sido atribuídas à Unidade Local de Saúde do Nordeste.
De acordo com o despacho publicado hoje, dia 29 de dezembro, em Diário da República, sobre os novos contratos celebrados pelo Ministério da Saúde, a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados vai ser alargada e dotada com mais 500 camas nas diferentes tipologias, das quais 289 destinam-se à região Norte. Só o distrito de Bragança irá contar com 65 destas camas, 18 das quais a serem atribuídas à Unidade Local de Saúde do Nordeste.

Esta medida surge no seguimento da política de investimentos efetuados pelo Governo no Serviço Nacional de Saúde, a par de outros a efetuar no próximo ano, nomeadamente, em termos de recursos humanos, de equipamentos e de instalações com a construção de raiz de infraestruturas em alguns casos, enquanto que noutros se verificarão “vultuosas” obras de ampliação e remodelação. Também a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, enquanto prioridade igualmente definida, irá contar com mais cinco centenas de camas, sendo que, destas, 289 destinam-se à Região de Saúde do Norte (ARSN).

Assim, com a publicação do referido documento, a Administração Regional de Saúde do Norte, em parceria com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, vai passar a disponibilizar às populações 315 camas de Convalescença, 830 camas de Média Duração e Reabilitação, 1627 camas de Longa Duração e Manutenção, 26 camas de Cuidados Paliativos e 1632 lugares de Equipas de Cuidados Continuados Integrados. Já no âmbito da Pediatria, serão disponibilizadas 10 camas de Cuidados Pediátricos Integrados e 10 lugares de Ambulatório Pediátrico. Enquanto no setor da Saúde Mental, haverá 25 novos lugares em Unidade Socio-Ocupacional, 8 visitas/dia em Equipa de Apoio Domiciliário, 14 lugares Residência Autónoma, 6 lugares em Residência de Treino de Autonomia tipo A – Infância e Adolescência e 10 lugares em Unidade Socio-Ocupacional infância e adolescência.

Assim sendo, a capacidade total instalada passa a ser de 4513 camas, a que corresponde um encargo financeiro anual a rondar os 55 milhões de euros, mais precisamente, 54.528.564,95 euros.

Bruno Mateus Filena
in:diariodetrasosmontes.com

Sem comentários: